Image Map

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

PASMO E SUICA – CARTÕES QUE FACILITARÃO A SUA VIDA!



Olá queridos leitores,

Às vezes recebo emails, questionando o que é o Pasmo e o Suíca, e se eles substituem, no caso de turistas que virão ao Japão, o Japan Rail Pass. Achei intrigante a pergunta, pois normalmente quem utiliza esses cartões são pessoas que moram aqui, mas, claro, turistas também podem adquiri-los.

O Pasmo, o Suíca e muitos outros como o Kitaca, o Toica, o Manaca, o ICoca, o PiTaPa, enfim, são diversos nomes mas todos eles tem a mesma finalidade. Antigamente cada região do Japão tinha o seu respectivo cartão, por isso tantas siglas, mas há pouco tempo o governo facilitou a vida dos usuários unificando o sistema, ou seja, eu poderia usar o meu cartão ICoca (que é da região de Osaka/Kyoto, se não me engano), em Tokyo por exemplo. Esses cartões nada mais são que o Bilhete Único de São Paulo e outros tipos que já deve ter por ai.


Máquinas nas estações de trem que fazem a recarga dos cartões


Aqui, usamos muito no trajeto trabalho/escola/residência por facilitar e muito a nossa vida. É cobrado um valor mensal fixo para determinado trecho, dando um desconto para o usuário, ou seja, é mais barato utilizar o cartão.

Tá ... mas você deve estar se perguntando, o que isso tudo tem a ver com os turistas que não vão trabalhar aqui. Pois é .... e daí que surge a super dica!

Já viu como compra-se um bilhete em uma estação de trem no Japão? Você tem que olhar no painel, localizar a estação onde está e depois achar a estação para onde quer ir. Isso tudo para descobrir o valor do trajeto (aqui a tarifa é cobrada por trechos como já expliquei nesse post) e então comprar o respectivo ticket. Só que ... nada nessa vida é fácil, não é mesmo. O painel está todo em kanjis! Impossível saber o que está escrito, a não ser que seja fluente em japonês. Uma solução seria comprar o valor mínimo e depois fazer o reajuste do valor quando chegar na estação de destino. Mas isso levaria tempo. Tenho uma opção mais fácil.


Painel indicando as estações de trem e seus respectivos valores


Você pode comprar o Pasmo/Suíca nas máquinas de venda automática de bilhetes ou nos guichês nas estações, inserir uma carga em dinheiro e utilizá-lo sem preocupação nenhuma, de maneira rápida e fácil. Toda vez que for entrar e sair de uma estação de trem, deve encostá-lo no sensor indicado na catraca que mostrará o valor debitado e o saldo. O mais interessante é que o usuário pode utilizar o dinheiro contido no cartão para pagar suas compras nas lojas conveniadas e até mesmo nas máquinas de bebidas espalhadas pelas ruas. É muito prático!

O custo do cartão é de ¥ 500 que é reembolsado no momento da troca, mas muitos turistas acabam levando-o como recordação ou guardam para utilizá-lo em um possível retorno ao Japão. Ele não tem data para expirar.

E com ele, a tarifa de cada trecho é mais barata já que a companhia de trem não terá gastos com a impressão do bilhete e o papel. Por exemplo, se comprasse o bilhete para andar uma determinada estação sairia por ¥170 (valor sujeito à alteração), com o cartão custará ¥165. Pouco, mas no final de um dia ou de uma viagem, você terá economizado bastante.



Abaixo segue um pequeno vídeo explicando como comprar nas máquinas das estações de trens. Esses cartões tbm são aceitos no metrô e alguns ônibus.



Espero que tenha ajudado!

Até mais,
Thais Fioruci







domingo, 17 de julho de 2016

VOU DE TÁXI! TÁXIS NO JAPÃO



Olá,

Embora os táxis não sejam um dos meios de transportes mais utilizados no Japão, em todo caso, sim eles são úteis, principalmente quando se precisa chegar muito rápido em um lugar que você não faz a mínima idéia de onde seja. Já utilizei algumas vezes, em uma passagem muita rápida por Kyoto ou quando chego com muitas sacolas e não quero andar até em casa. Como moro aqui há algum tempo, me viro bem com trens e metros mas, e os turistas?  Em todo caso, darei aqui algumas dicas para que você, meu amigo, não passe por muitos micos em terras nipônicas. 




A primeira vista, os táxis são carros de modelos antigos e em seu interior cheio de capas brancas de renda. Um pouco brega mas, levando onde queremos, isso pouco importa. Os motoristas usam uniformes, luvinhas brancas e são sempre educados e formais.

Como chamar um táxi? É só levantar a mão quando avistar um e ele em seguida estacionará próximo de você. Não se esqueça que as portas abrem automaticamente tanto para o passageiro entrar quanto para descer.  Uma placa no painel no canto inferior do pára-brisas indica se um táxi está vago ou não. Normalmente, uma placa vermelha indica que o táxi está vago, enquanto uma placa verde indica o contrário. Durante a noite, uma luz no teto de um táxi pode indicar que o táxi está vago.




空車 - Vago

賃走 - Ocupado




A maioria dos taxistas não são fluentes em inglês, portanto leve consigo o endereço indicado de onde quer ir.  Os táxis aceitam dinheiro, cartões de crédito e alguns o Pasmo/Suíça.

Tarifas

Os táxis não são nada baratos por aqui e é cobrado por quilometragem. As tarifas diferem ligeiramente de acordo com a região, empresa e tamanho do veículo. A tarifa nos 23 distritos de Tokyo inicia-se em ¥730 para os primeiros dois quilômetros e depois acrescenta-se ¥90 por cada 280 metros. Não adianta pechinchar e pode-se transportar até 4 passageiros. O custo também aumenta quando o táxi não está se movendo por um tempo prolongado. No final da noite (normalmente das 10h às 5h), as taxas aumentam cerca de 20 por cento. Eventuais taxas de pedágio durante a viagem são adicionados à tarifa.

Aplicativos:

Tenha em mãos esses aplicativos para chamar um táxi mais rápido e fácil:

Japan Táxi

Esse aplicativo opera em 47 prefeituras do Japão com mais de 20.000 carros de diferentes companhias de táxi. Link para baixar o app abaixo Android:

Tinyurl.com/TOTjapan-taxi

https://play.google.com/store/apps/details?id=jp.co.nikko_data.japantaxi&hl=en

Uber

Dispensa apresentações. Chegou ao Japão em 2014 e rapidamente tornou-se popular entre os japoneses. A tarifa inicia-se em ¥103 e as corridas custam ¥309 por cada quilômetro.

Tinyurl.com/TOTuber

Line Taxi

O Line é o aplicativo de mensagens mais utilizado no Japão. O Line Táxi funciona em parceria com a Nihon Kotsu, uma das maioria companhias de táxi do país. No momento o serviço é viável apenas no centro de Tokyo, Mitaka e Musashino. O método de pagamento é através do Line Pay que requer um cartão de credito japonês, seguro e licença de motorista.

Táxi Fare Calculation

Esse aplicativo permite calcular o valor de sua tarifa antes de embarcar no táxi. Ideal para aquelas “noitadas” em que você não queria esticar até o final e quando viu perdeu o horário do último trem e gastou quase toda sua grana na balada. 

Espero que tenha gostado e boa viagem!

Thais Fioruci


Referências:









domingo, 3 de julho de 2016

TSUKIJI – O MERCADÃO DE PEIXES DE TOKYO



Olá queridos/as leitores! 

Como amo escrever para vocês e muito obrigada por estar sempre aqui acompanhando minhas dicas e aventuras por essa terrinha. Minha dica de hoje para quem pretende visitar o Japão é o famoso Tsukiji (em japonês 築地市場), um mercadão que vende diversas variedades de peixes, frutos do mar e derivados. Localizado bem no centro de Tokyo, é um dos mais conhecidos mercados de peixe do mundo. Me lembrou muito o CEAGESP (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) e até mesmo o Mercadão de São Paulo. Ali, chegam a manipular mais de 2.000 toneladas de produtos marinhos por dia. Também pudera, os japoneses amam peixes! 

Na área próxima ao mercado, onde acontece o famoso leilão pela madrugada, diversas barracas vendem uma variedade imensa de peixes, frutos do mar e tudo o que você pode imaginar. Até omelete e pizza achei por ali. Barraquinhas de cerâmicas, facas e souvenirs japoneses também são facilmente encontrados. Muitas já vendem o sushi e o sashimi já prontos. Nas ruas paralelas existem muitos restaurantes e muitas filas, é claro.  




É com certeza um dos pontos mais procurados pelos turistas e para dizer a verdade nunca tinha visitado. É muito cheio, ainda mais para um sábado bem ao meio dia. Muita gente, faminta, querendo comer, se acotovelava nas imensas filas. Se você pretende visitá-lo, vá com muita paciência e também evite tirar fotos. Em quase todas as barraquinhas tem uma placa dizendo “No photos”. Ah ... e as lojas fecham cedo, por volta das 14h.


25 de Março do Japão?


Como é o maior mercado de peixes do país, é muito movimentado e a rotina dos vendedores e compradores sempre apressados, junto aos caminhões de entrega e as scooters que mais parecem tuk tuks, toda essa atmosfera transformou-o em uma das atrações mais procuradas pelos turistas em Tokyo. O número de visitantes cresceu tanto que a antiga infraestrutura do mercado já não comporta mais tanta gente. Portanto, está programado para ser transferido para um novo endereço em Toyosu, Tokyo, perto de Odaiba, em novembro de 2016.





Sobre o famoso leilão de peixes

O número de visitantes para o leilão de atum é limitado a 120 por dia. De acordo com a atendente do Centro de Informações, a fila para a retirada de senhas começa a se formar por volta das 2h da manhã. O primeiro grupo de 60 pessoas acompanha ao leilão das 05h25min às 05h50min e o segundo grupo de 60 visitantes das 05h50min às 06h15min. Existe uma área restrita onde devem ficar e é proibido tirar fotografias com flash ou interferir no andamento das negociações.

Espero que tenha gostado da dica e até a próxima,

Thais Fioruci



Como chegar: Estação Shijo Tsukiji na linha de metro de Oedo. Cinco minutos a pé da Estação Tsukiji na linha de metro Hibiya. A estação da JR mais próxima é Shimbashi, de onde se pode caminhar até o mercado em cerca de 15 minutos.




Referência:








sexta-feira, 10 de junho de 2016

DICAS DE PASSEIOS COM CRIANÇAS PELO JAPÃO



Olá pais aflitos,
 


esse post é dedicado à vocês que virão à Tokyo com suas crianças e não tem a mínima noção de passeios legais para fazer com elas. Realmente é muito difícil conciliar as preferências tanto de adultos quanto de crianças. Mas, muita calma nessa hora porque preparei um roteiro com dicas de passeios exclusivos para os pequenos por várias regiões do Japão. A lista tem de tudo desde parques, museus até lojas exclusivas de personagens famosos. Só fique atento à faixa etária da criança e se sua personalidade é compatível ao “estilo” do lugar. Apesar de não ter filhos, alguns desses lugares eu já visitei (também é uma ótima opção para adultos que não cresceram como eu)! Deixarei o link, caso tiver mais interesse poderá ler e pegar mais informações. 

Caneta e papel nas mãos e vamos lá: 

1- CupNoodles Museum - Que tal visitar o museu do Cupnoodles e ainda criar o seu próprio miojo? Uma brincadeira bem divertida e criativa para os pequenos. Ficou interessado? Clique aqui ou aqui para informações gerais; 

2 - Sanrio Puroland - Como não visitei deixarei o link do site aqui mas ouvi dizer que é perfeito para crianças pequenas;
 
3 - Museu do Anpaman em Yokohama - O Anpanman é um dos desenhos infantis mais populares do Japão. O personagem principal, Anpanman, é na verdade um pão de anko (uma pasta doce feita de feijão vermelho ou azuki) feito pelo cozinheiro Jam, que luta contra as forças do mal. mais informações aqui;


 


4 - Zoorasia - Inaugurado em 1999, o Zoorasia é um dos mais modernos, amplos e conservados zoológicos do Japão. Sob os temas de "Simbiose da Vida" e "Harmonia com a Natureza" é um espaço bem aconchegante e um conceito de zoo bem diferente do que estamos acostumados na nossa terrinha. Gostou? Então clique aqui;



 
5 - Ghibli Museum - Como quero ir nesse museu mas os ingressos são bem concorridos nos finais de semana. Linka para o site aqui;
 
6 - Sea Paradise -  Localizado em uma ilha artificial na estação de Hakkeijima, em Yokohama, possui mais de 500 tipos de peixes e 100 mil espécies marinhas. É um dos maiores aquários do Japão, perdendo apenas para o famoso complexo aquático de Okinawa. Super indico, veja aqui.
 
7 - Zoológico de Ueno - Um dos mais famosos zoológicos do Japão, localizado bem no coração de Tokyo.

8- Yokohama Cosmo World - Um parque de diversões localizado em um dos pontos mais belos do Yokohama. Possui brinquedos para crianças pequenas e também para adolescentes.



 
9 - Pokemon Store - Seu filho/a gosta de Pokemon? Então aqui é parada obrigatória. São várias lojas espalhadas pelo Japão.Mais informações aqui.

10 - Kiddy Land Harajuku - A Kiddy Land é uma das mais famosas e populares lojas de brinquedos de Tokyo. A loja possui cinco andares e alguns deles são dedicados especialmente à Hello Kitty, Snoopy e o Rilakkuma! Prepare o bolso porque o difícil aqui é conseguir se controlar! Mais dicas de Harajuku aqui;




11 - Legoland Discovery Center Odaiba - Localizada no Decks Mall, em Odaiba Tokyo. São mais de 3 milhões de peças, ilha interativa, cinema 4D, eventos especiais, passeios, LEGO Miniland, salões de festas, workshops e uma imensa loja. É destinado às crianças de 3 à 10 anos e uma visita leva aproximadamente de 2 à 3 horas. O ingresso custa 2.300 ienes, mas comprando pelo site você consegue economizar 800 ienes. Crianças abaixo de 2 anos entram sem pagar, mas os demais visitantes deverão apresentar seu bilhete. O parque está aberto diariamente das 10h às 21h, última entrada às 19h. O funcionamento da loja é das 11h às 21h. O local disponibiliza também um café onde o visitante poderá comprar alimentos e bebidas. Mais informações aqui.

12 - Disney World Japan - Dispensa apresentações! Já que está em Tokyo, que tal conhecer a Disney asiática? Veja como aqui.

13 - Disney Sea  - Um parque dedicado aos desenhos mais "aquáticos" da Disney. Na minha opinião, é mais direcionado à adultos, adolescentes e crianças maiores. As atrações  são mais emocionantes, rápidas e até assustadoras como a Torre do Terror. Posso dizer que tem menos magia, “menos meiguice”, mas belas paisagens! Veja aqui como visitar. 

14 - Museu Nacional da Natureza e Ciência em Ueno - Seu filho/a faz mais o estilo "nerd" (tipo eu rs) e gosta de dinossauros? Aqui é o passeio ideal! 
 
15 - Yokohama Doll Museum Yokohama - Localizado em Yokohama, próximo ao Parque Yamashita, o Yokohama Doll Museum convida seus visitantes à passearem pelo mundo das bonecas. O museu possui um acervo de 3500 bonecas de diversas regiões do Japão e bonecas folclóricas de mais de 141 países. Veja meu passeio por lá aqui. 

16 - Universal Studios Japan - Por último, um passeio para os mais "grandinhos". Localizado na ilha Sakurajima, na parte oeste da cidade de Osaka (400 km de Tokyo), o parque é um dos quatro parques temáticos da Universal Studios, sendo similar à Universal Orlando Resort. As atrações são baseadas em filmes produzidos pela Universal Studios como Homem Aranha, Exterminador do Futuro, E.T., Shrek, De Volta ao Futuro, Jurassic Park, Jaws, entre outros. Veja mais aqui.

Espero que tenha gostado das dicas e caso tiver alguma dúvida mande um email para perdidanojapao@hotmail.com

Quer me achar nas redes sociais?

Canal do Marido no Youtube: www.youtube.com/naterradosushi
Twitter Sakano: www.twitter.com/sakanosan



Abraços
Thais Fioruci





sexta-feira, 20 de maio de 2016

QUE TAL FAZER SEU PRÓPRIO CUPNOODLES?



Olá pessoa,

Como você está? É ... as coisas no Brasil andam complicadas pelo que estou vendo nos noticiários, mas o Japão também não está nos seus anos dourados. mas, vamos falar de coisa. Outro dia, ao levar um amigo ao Museu do Cupnoodles em Yokohama (já tem post no blog, mas se ainda não conferiu clique aqui) me arrisquei em uma brincadeira super divertida. Uma das atrações mais concorridas no interior do museu é o “My Cupnoodles Factory” onde o visitante pode personalizar seu próprio Cupnoodles. Sou péssima em desenhos, mas aceitei o desafio e vamos ver no que deu.   




Como a área é sempre muito concorrida, logo na recepção, quando estiver comprando sua entrada, a atendente perguntará se tem interesse em visitar essa seção. Daí, ela lhe entregará um bilhete com um horário agendado.

Na hora marcada é só se dirigir ao 3° Andar e começar a brincadeira! O primeiro passo é comprar o copo nas máquinas de venda automática. Custa ¥300 já com a taxa do imposto. Depois temos que higienizar as mãos com álcool e aguardar a atendente. Ela dará algumas instruções e te indicará uma mesa para que possa personalizar seu copo. Na mesa, tem canetinhas coloridas e um copo para servir de inspiração. Solte a sua imaginação e com certeza você dará muitas risadas. O mais legal é ver a criatividade das pessoas e quantas “obras de arte” conseguem fazer em um pote de Cupnoodles.

Depois começa o processo de produção, ou seja, inserir o macarrão e os ingredientes. Essas etapas são feitas por funcionários que explicam em japonês ou inglês e esperam pacientemente enquanto você grava e tira fotos, uma graça. Como disse no inicio, o visitante criará seu próprio Cupnoodles, desde a embalagem aos ingredientes. São quatro sabores e 12 acompanhamentos. Você poderá escolher 1 sabor e até 4 acompanhamentos. 


Sabores e acompanhamentos à sua escolha


Seguindo, você entrega o copo para atendente. Primeiro, ela irá higienizá-lo para colocar o macarrão. Depois, é escolhido o sabor e os 4 ingredientes que vão acompanhar seu super miojo. Feito isso, coloca-se a tampinha e fecha. Passa-se um plástico para proteger ainda mais a embalagem. 


Lacrando seu Cupnoodles personalizado


Daí ela vai te entregar um saco transparente com o logotipo do museu.  Basta colocar seu Cupnoodles e enchê-lo como se fosse uma bexiga. Por último amarre as cordinhas para que possa carregá-lo (no vídeo entenderão melhor minha péssima explicação) e pronto!  Você tem um Cupnoodles original e único no mundo com uma combinação que só você conhece!
  
É uma ótima dica de passeio tanto para adultos que se divertem e relembram a infância quanto para as crianças. Se estiver por Yokohama, não esqueça de incluir na sua lista!

Abaixo está o vídeo do meu copo:



Beijos

Thais Fioruci



CUPNOODLES MUSEUM

Endereço: 2-3-4 Shinko, Naka-ku, Yokohama 231-0001 Japan  

Telefone: 045-345-0918

Horário: das 10h às 18h (última entrada às 17h). Fechado às tercas-feiras (quando o feriado cair na terça-feira, também estará fechado no sai seguinte), final de ano e ano novo.

Valores: Adultos 500 yen (taxa inclusa)






domingo, 8 de maio de 2016

MUSEU DA PROPAGANDA JAPONESA EM TOKYO



Olá,

Há tempos que eu queria visitar esse museu, mas, sabe como é, sempre deixo para depois, ou tenho “afazeres” mais importantes e vou deixando. Dessa vez, apareceu uma oportunidade e claro, estava lá. O Museu da Propaganda japonesa fica em Tokyo à 5 minutos andando da estação JR Shimbashi ou pela estação Shiodome do metro, no shopping Caretta Shiodome piso B1F.




É uma ótima opção de passeio barato, já que a entrada é gratuita, mas, na verdade, não sei se valerá muito a pena. Apesar de ter panfletos em inglês, a maioria das explicações e claro, as peças publicitárias estão em japonês. Muitos anúncios utilizam somente imagens óbvias, ficando fácil a compreensão. Afinal, os japoneses têm a exata noção de que o idioma deles é difícil e como muitos estrangeiros vivem aqui, atualmente placas, proibições e até propagandas utilizam sempre desenhos. Precisam vender e o cliente precisa entender a mensagem, independente da nacionalidade.

O museu funciona de terça à sexta das 11h às 18h, aos sábados e feriados das 11h às 16h30min. Domingos e segundas é fechado. Além de uma exposição de áudio visual, o local ainda mantém uma biblioteca de propaganda e marketing além de uma loja com vários produtos. Destaque para os cartões postais com imagens de propaganda japonesas antigas e que custam apenas 50 ienes. 




A exposição exibe a história e o desenvolvimento da publicidade no Japão. É dividida em sete seções que começa no final do período de Edo até os dias atuais. Paralelamente à essa seção, na parede oposta, sob o titulo "Sociedade, vida e cultura do século 20”, ficam produtos populares, recortes de jornais e revistas, pecas publicitárias da sociedade moderna. Essa parte é bem interessante e tem até o layout da primeira página do Youtube e do Twitter. Alguém se lembra?

No passado, as propagandas eram praticamente pinturas que mais pareciam obras de artes. Quando o período Meiji começou em 1868, os novos meios de comunicação, como jornais e revistas, surgiram e com eles, novas práticas de publicidade também. Em 1964, com a competição olímpica sendo realizada em Tokyo, o número de famílias japonesas que possuíam aparelhos de televisão ultrapassava 90% Assim, veio a era dos quatro principais meios de comunicação: televisão, rádio, jornais e revistas. Logo, com o rápido crescimento econômico, uma nova sociedade do consumo surgiu.


Cartões postais vendidos na loja do museu


O que mais gostei do museu foi da exposição temporária que exibe os últimos trabalhos premiados em várias competições de publicidade no Japão e no mundo e também da seção onde os visitantes podiam selecionar datas antigas e assistir os comerciais da época.

Ah ... é proibido tira fotos ou filmar. Uma pena mesmo!

Espero que tenha gostado do post,


E não esqueça de se inscrever no nosso canal no Youtube e dar aquela curtida na nossa página do Facebook. Dúvidas ou sugestões de matérias, envie um email para perdidanojapao@hotmail.com




Thais Fioruci



Canal do Marido no Youtube: www.youtube.com/naterradosushi
Twitter Sakano: www.twitter.com/sakanosan




Referência:









terça-feira, 3 de maio de 2016

QUAL O MELHOR LUGAR PARA SE TIRAR UMA FOTO DO MONTE FUJI?



Olá leitor/a,

Sempre recebo emails de turistas que visitarão o Japão e querem tirar uma bela foto do Monte Fuji (em japonês 富士山 Fuji-san). Mas, qual o lugar mais adequado para ver esse belo símbolo da terra do sol nascente? É difícil responder essa questão, pois, a montanha tem apenas 3776 metros, ou seja, é facilmente vista de vários locais. Eu moro à uns 100 quilômetros de lá e o vejo todas as manhãs quando o céu está claro. Do trem bala à caminho de Kyoto, da cidade de Hakone e até mesmo de Tokyo em dia de tempo bom poderá avistá-lo.

O Monte Fuji está localizado à oeste de Tokyo na fronteira entre as províncias de Shizuoka e Yamanashi. Existem três pequenas cidades que envolvem o Monte Fuji: Gotemba à leste, Fuji-Yoshida à norte e Fujinomiya à sudoeste.

Mas, turistas (e eu também), não querem apenas ver o Fuji san e sim, querem tirar uma foto, e deve ser a mais bela foto, aquela perfeita para ser lembrada para sempre. Então vamos lá que descobri um lugar perfeito para tirar a tão sonhada imagem!

Visitei o Santuário Arakura Sengen na região dos cinco lagos que rodeiam o Monte Fuji, na cidade de Yamanashi. Fica à dez minutos da estação Shimo-Yoshida que pode ser acessada pela linha Fujikyu (3 horas de Tokyo, 35 minutos da estação Otsuki ou 10 minutos da estação de Kawaguchiko). É lá onde fica uma das imagens mais famosas e compartilhadas do Japão pela internet e logo saberão a razão. 

O Chureito Pagoda é um dos pontos mais concorridos pelos turistas. Para chegar até ele é necessário ter bastante disposição, afinal 397 degraus o separam do santuário principal! Mas, garanto, vale a pena todo o esforço. O pagoda tem cinco andares e fica na encosta da montanha com vista para a cidade de Fujiyoshida e o Monte Fuji no horizonte. Foi construído em 1963 como um memorial da paz pelas vitimas que perderam suas vidas nas diversas guerras em que o Japão esteve presente.  


Sobe, sobe ... muitas escadas!


Chureito Pagoda


Quanto mais você sobe, mais bela a paisagem fica. A vista da cidade é esplêndida. O parque é bem espaçoso e perfeito para um piquenique com a família. Decidi ir bem na época das sakuras (claro, queria a foto quase perfeita. Eu e mais os milhares de fotógrafos ali). O lugar estava bem cheio, mas já me “enfiei” em lugares muito piores. Atrás do pagoda fica o deck de observação e ali, milhares de fotógrafos, turistas e curiosos se acotovelavam para conseguir um “espacinho” para ver a estrela do dia. O dia estava com sol e céu limpo, mas apesar disso, o Monte Fuji estava nublado no topo. Após quase 4 horas de espera, consegui a tão sonhada foto. 


A subida vale a pena!  


Uma das imagens mais compartilhadas na internet. O Fuji san tímido no horizonte

Monte Fuji imponente


Uma dica: se você, leitor, pretende visitá-lo leve comida. O local praticamente não tem restaurante! Achei apenas um bem simples e ainda estava fechado. Consegui comprar comida em uma única loja de conveniência que achei. É uma cidade bem pequena, residencial, e sem aquele apelo turístico que encontramos em Kyoto ou Nara, por exemplo. Lojinhas de presentes e os tradicionais “omiyages” (presentes que os japoneses levam para seus amigos toda vez que viajam), esquece. Aliás, nem gente eu encontrei por ali. Fiquei um pouco decepcionada nesse quesito.    

Então, leitor/turista você não acha um belo lugar para se tirar uma bela foto do Monte Fuji? Se tiver dicas de mais algum ponto bom, deixe nos comentários! 

Obrigada por ler,

Abraços,

Thais Fioruci