Image Map

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

10 COISAS QUE O BRASIL FAZ MELHOR QUE O JAPÃO!



Olá pessoal,

Estava vendo um vídeo do canal Amigo Gringo em que ele listava coisas que o Brasil faz melhor que os Estados Unidos. Sei muito bem que temos (me incluo nele) aquele “complexo de vira lata” no qual achamos que o Brasil é o pior país do mundo, que tudo é uma porcaria, que nada funciona direito, que a corrupção avassala o país, que os políticos são verdadeiros ladrões. Sei de tudo isso e concordo até certo ponto, mas morando fora há quase 6 anos, posso dizer com certeza que sim, o Brasil tem seus defeitos mas também tem muitas qualidades, como qualquer outro país do mundo. Quando você mora fora, nos primeiros meses e anos, compara tudo com seu país de origem e lógico acha tudo infinitamente melhor. Mas, passada a euforia da chegada e algum tempo depois, quando você se vê não mais como um “turista” e sim como um residente, passa a observar mais profundamente, com um olhar mais crítico. Daí percebe como a vida acontece naquele país que apesar de ser de primeiro mundo, também tem seus problemas.

Então, pensando nesse aspecto, comparei e listei 10 coisas que o Brasil faz melhor que o Japão. Já estou prevendo muito “mimimi”, mas é minha opinião. Se você não concordar com o que leu e quiser deixar um comentário CONSTRUTIVO, seja bem vindo. Vamos lá:

1 – Sistema de saúde

O sistema de saúde aqui funciona da seguinte maneira: o cidadão pode optar pelo seguro saúde oferecido pela prefeitura da cidade (o valor é calculado conforme seus ganhos anuais) ou entrar no seguro que é oferecido pela empresa onde trabalha (a empresa paga uma porcentagem que é calculado conforme seus ganhos e o funcionário arca com a outra metade). Daí, quando você for utilizar terá que desembolsar no momento da consulta mais 30% desde os honorários do médico, remédios e tudo mais que foi utilizado (ou seja, se não tiver dinheiro no dia não pode ficar doente rs). Acho um valor bem alto para a atual realidade dos salários do Japão, principalmente para quem não usa muito. E também porque esse plano não cobre certas ocorrências como gravidez e câncer. Sem falar que (isso é minha opinião que fique bem claro), acho os médicos japoneses bem despreparados, com idéias atrasadas e muitos sabem lidar com estrangeiros (como se fôssemos diferentes). É por essa e outros que quando algo mais grave acontece corro para meu amado Brasil. Sim, nossos dentistas e médicos são muitos melhores. Ah ... e antes que comecem a criticar que estou comparando com os planos particulares no Brasil, aqui não tem atendimento gratuito não ... e muito menos remédios grátis.

2 – Máquinas para verificarem preços em supermercados

No Japão tudo funciona muito bem, é verdade. Todos os produtos nos supermercados têm seu respectivo preço na prateleira, mas às vezes acontece de achar um produto fora do seu devido lugar e você querer levá-lo, ou simplesmente está sem o preço na prateleira e é nessas horas que sinto muita saudade daquelas máquinas de consulta que temos nos mercados brasileiros. Porque se não sei o valor e nem o local correto do produto, terei que perguntar para a atendente que apesar de muito simpática vai levar pelo menos uns 10 minutos para voltar e quase sempre sem a resposta certa.

3 – Fila exclusiva e caixa rápido

Dificilmente verá filas no Japão! Aliás, até esquece que elas existem e quando volta ao Brasil, leva um susto. Na mentalidade e hierarquia japonesa, você como cliente não pode perder um minuto do seu tempo esperando. Mas, elas ainda não estão extintas e quando freqüento supermercados muito grandes, elas são inevitáveis. Tem alguns caixas que nós mesmos passamos e empacotamos nossas compras, mas não são todos que querem ou sabem lidar com a tecnologia. E nessas horas penso que sim, deveria ter um caixa para uma quantidade de volumes menores, como no Brasil, e um caixa preferencial para gestantes.

4 – Frutas, verduras e legumes

Certamente é o que mais sinto falta da variedade de frutas, verduras e legumes. Aqui além das frutas serem caras, são sazonais. Existem poucos tipos de verduras e legumes e quando o inverno chega, eles praticamente desaparecem das prateleiras. Nossa, não imagina minha felicidade em ver um morango, uma melancia ou quando avisto uma couve-flor!

5 - Televisão

Além de ter a barreira do idioma, acho a televisão japonesa um pouco “infantil” e até um certo ponto censurada. É como se eles recebessem um “script” com todas as noticias “polêmicas” que deverão ser veiculadas. E durante o dia, os noticiários repetirão as mesmas reportagens. E pra mim, quando o assunto é grave, como a radiação de Fukushima, por exemplo, eles abafam e não falam abertamente sobre o assunto. E outra coisa chata, tem muita comida kkk. Você liga a televisão às 5 horas da manhã e os apresentadores já estão comendo. 



Previsão do tempo de todas as manhãs. Fofo, né! Mas tem hora que exageram nas fofurices


6 – Legislação do Trabalho

Pra mim, esse tópico juntamente com o tópico do sistema de saúde, é o que mais me irrita. Certamente o Brasil está a anos luz nesse quesito. Apesar de ser um país de primeiro mundo, ainda tem muita coisa errada, uma sociedade presa à pensamentos antigos e que aparentemente não quer mudar. Nesse cenário, uma legislação que rege os trabalhadores é praticamente inexistente. Vamos ver agora, depois de muitas mortes por excesso de trabalho e com a baixa taxa de natalidade, o primeiro ministro japonês está tentando mexer na legislação para tentar beneficiar o trabalhador. 

7 – Jeitinho Brasileiro

Os japoneses sabem muito bem o que fazer para atingir o sucesso em qualquer atividade. Sempre muito dedicados, organizados, metódicos e precisos, mas e se algo não acontece como o planejado? Na hora do aperto, eles não sabem como lidar com aquela situação inesperada, e só nós, com nosso jeitinho brasileiro, sabemos resolver.

8 – Produtos de higiene pessoal

Eu sou a louca dos produtos de higiene pessoal brasileiros!!! Tenho estoque em casa! Os produtos do Brasil como pasta de dentes, sabonetes em barra, desodorantes (que aqui são caríssimos e não seguram nada) e higiene intima são infinitamente melhores que os daqui. 

9 – Lâminas do Mc Donalds

Quantas vezes almoçava no McDonalds e ficava lá, rindo sozinha, com aquele papel que colocam na bandeja. Sempre engraçados e criativos! Agora, no Japão, a lâmina sempre informa sobre processos seletivos e convida jovens para trabalharem na rede. Sabemos que o país sofre com a falta de mão de obra, então essa é uma forma de propaganda também.




10 - Lançamento de filmes

Por que Deus os filmes demoram tanto para chegar aqui? Às vezes, já até saiu de cartaz no Brasil e está sendo lançado aqui. Sem falar que a maioria dos filmes no cinema são sempre de produção nacional, e apenas alguns são do exterior.



Esses foram os meus tópicos. E você que morou ou visitou o Japão, concorda comigo? Deixe nos comentários.

Até mais,
Thais Fioruci

14 comentários:

  1. Muito bem colocado as coisas que vc vivencia no Japão.
    Abaixo coloco algumas coisas que vejo com relação ao Brasil.
    Saude
    Eu acredito que um dos maiores problemas (com excessão de Cuba) no mundo todo é sobre saúde.
    Pela nossa constituição, o governo é obrigado a dar praticamente tudo a população.
    Uma vez FHC disse que é impossível governar com a nossa constituição, pois tudo o governo é obrigado
    a dar.
    Acho que temos um problema mais sério aqui no Brasil, uma vez que tivemos que "importar" médicos cubanos
    uma vez que os nossos médicos não querem trabalhar em locais de dificil acesso e ganhar pouco, os quais não critico
    pois ninguem estuda praticamente 10 anos da vida para ganhar mal.
    Acho que as coisas precisam ser divididas sim, entre nós que trabalhamos e o governo para aqueles que tem condições.
    Aqui já que o governo não consegue dar saúde a todos, dá pelo menos o reembolso de uma parte na restituição de imposto de renda
    De qualquer forma não cobre tudo. É muito bom o programa de remedios gratuitos que temos no país, pois para pessoas que tem problemas como diabetes
    pressão alta e algumas outras doenças, os remedios são gratuitos.
    Ja tive parentes que vieram do Japão para tratar de problemas dentários tambem, pois me falaram que ai no Japão é carissimo o tratamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Edson!

      Obrigada pelo comentário!

      At.
      Thais Fioruci

      Excluir
  2. Frutas
    Aqui no Brasil cada ano que passa as frutas estão ficando mais feias e caras, isso acredito que se deva a problemas climaticos que não são exclusivos
    de nosso país. Aqui no Brasil temos o Plano Safra que é o investimento de bilhões de reais na agricultura familiar, não sei se no Japão existe isso tambem
    mas levando em consideração o tamanho do país fica dificil mesmo haver espaço para plantações de diversas culturas o que acaba ocasionando este problema no Japão

    ResponderExcluir
  3. Televisão
    Aqui no Brasil acho a programação de tv horrível a muito tempo, tanto que nem assisto mais. Aqui ainda temos Faustão, Datena, Neto etc etc (nada contra quem assiste)
    mas acho que a TV aberta de um modo geral é muito pobre em conteudo. E as tv´s por assinatura só passam propaganda, por essas e outras que só assisto netflix e alguns
    canais no youtube para passar o meu tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!

      É verdade, a programação da Tv aberta no Brasil é horrível msm. Não peguei a época do Netflix ai ainda, mas qdo estive ai adorava a Tv a cabo.

      Abs
      Thais Fioruci

      Excluir
  4. Trabalho
    Realmente os indices de suicidio no Japão são de assustar, mas uma coisa que vejo aqui no Brasil é que tem muitos que trabalham muito e ganham pouco e poucos que
    trabalham pouco e ganham muito. Acredito que uma sociedade mais justa e equilibrada é aquela em que todos ganhem igual ou proximo disso.
    Ja ouvi varias historias que no Japão se trabalha mais de 12 horas por dia, que não se tem horário e as folgas são poucas, mas aqui no Brasil se formos analisar
    o brasileiro perde e muito tempo só para se deslocar de casa para o trabalho, coisa que no Japão isso não ocorre devido a qualidade do transporte publico.
    Aqui os sindicatos na grande maioria não protegem o trabalhador, e sim os proprios bolsos. Não acho nós Brasileiros preguiçosos, só acho que não somos produtivos e
    competitivos o suficiente para competir com outros países.
    Existe a possibilidade no Japão de se fazer "bicos", aqui no Brasil eu não consigo fazer "bicos" oficiais pois a legislação trabalhista não permite, estão querendo
    flexibilizar a lei para que as empresas possam contratar mão de obra para os picos de jornada, para tentar conter um pouco o desemprego.
    Aqui a lei protege demais o empregado, ao ponto de mesmo o empregador pagar tudo certo, o funcionario entra com processo trabalhista e mesmo assim ganha. Somos recordistas
    mundiais em processos, tanto os que estão realmente buscando receber de patrões malandros, como aqueles funcionários malandros querendo receber mais do que tem direito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Olha, isso de perder tempo no trajeto é relativo, pq aqui tb eu e meu esposo levamos quase duas horas para chegar onde trabalhamos. Como a maioria dos brasileiros ainda trabalham com empreiteiras, elas acabam "alugando" (cobrando um aluguel absurdo por um apartamento velho, caindo aos pedaços) apartamentos ao lado da fábrica (justamente para o empregado não dar desculpas para não fazer horas extras). Outro caso, é que muitos aqui vão de carro pois a maioria dos brasileiros moram no interior, então não podemos comparar com pessoas que moram em grandes metrópoles.

      Amigo, funcionando bem ou mal, temos que agradecer que o Brasil tenha leis trabalhistas e sindicatos, porque aqui não tem nada que proteja o trabalhador, principalmente o estrangeiro. Já acompanhei o desespero de uma mulher de 30 anos que teve a mão decepada pela máquina de prensa e a empresa não queria pagar um centavo além do salário dela daquele mês.Um homem que caiu no caldeirão da Isuzu e foi simplesmente derretido em segundos. Outro que perdeu a visão com uma lasca de vidro e a empresa não lhe pagou nada. Uma mulher que foi afastada pelo médico e a empreiteira não queria pagar os 60% que era de direito dela. Esses sao apenas um dos casos, fora os que já aconteceram cmg, com meu marido, com nossos amigos....

      Aqui, existe muita empresa safada que se aproveita das brechas da lei japonesa e quem sofre sao os estrangeiros que não "conseguem" devido à vários fatores a procurarem seus direitos.

      Obrigada pelo seu comentário.
      Thais Fioruci

      Excluir
  5. Jeitinho
    O melhor e o pior do Brasil ainda é o brasileiro, para o bem e para o mal, isso que vc diz do jeitinho brasileiro já foi falado inclusive de pessoas que lutaram
    na 2 guerra mundial com nossos pracinhas. Sempre demos um jeito em quase tudo. Se nosso país investisse mais em educação, imagina o potencial que teriamos, aliados
    a esse nosso jeitinho. Porém certas coisas não se resolvem com jeitinho, pois uma vez que se faz a famosa "gambiarra" uma hora ela vai dar problema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      Concordo com vc! Sim, tem certas coisas que não se resolvem com gambiarra, mas graças ao nosso jeitinho (pense pelo lado positivo), conseguimos nos adaptar às diversas situações e crises.

      At.
      Thais Fioruci

      Excluir
  6. Sobre a saúde no Brasil: não existe remédio de graça; os impostos de todos os produtos são bem altos, uma parte desse recurso é convertida para o Ministério da Saúde, e a maioria das vezes os postos não tem o remédio. Preciso tomar continuamente remédio pra pressão alta e gastrite, são remédios que na teoria os postos de saúde deveria dar "de graça", mas sempre está em falta nos postos. Na cidade onde moro, desisti de usar o posto de saúde, pois pra marcar uma consulta eu tinha que estar na fila as 04:00h (da madrugada), esperava meses pra ser consultado e quando chegava o dia, o médico não tinha vindo trabalhar. Comecei a frequentar o posto da cidade onde trabalho (esta cidade ganhou o prêmio, como melhor tratamento gratuito de saúde em Santa Catarina). Nesta cidade pra marcar uma consulta com um dermatologista (por exemplo), tem que se passar antes pelo clínico geral (leva-se de 2 a 3 meses), daí ele encaminha pro dermatologista (de 9 a 12 meses de espera), daí ele te examina e encaminha para uma clínica particular, onde tem que pagar caro. Estou a 3 anos esperando pra fazer uma endoscopia pelo SUS. Minha esposa tava com uma crise de pedra nos rins, nenhum posto de saúde ou hospital do SUS quis atende-la, deixavam-na o dia todo numa cadeira com soro no braço. Tive que pagar caro pra ela ser atendida numa clínica particular, se depender do SUS (e suas filas imensas) o cidadão brasileiro acaba morrendo. Felizmente minha esposa conseguiu eliminar uma pedra (ela ainda tem 3 pedras), pois o SUS não as remove gratuitamente, e numa clínica particular pra tirar apenas uma pedra, custa em média R$ 4.500,00 (eu ganho R$ 1.600,00 por mês e ela está desempregada). Tem muitas histórias absurdas sobre o sistema de saúde do Brasil; por aqui as pessoas morrerem nos corredores dos hospitais, todos os dias, por falta de médicos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Everton!

      Claro que nada existe de graça. Pagamos altos impostos para termos isso. Sei bem que nada funciona perfeitamente no Brasil, e que ainda temos muitos problemas para resolver. Mas pense assim, funcionando bem ou mal, além de pagar os imposto, vc tem saúde pública de "graça". Aqui, além dos altos impostos que pagamos, além de pagar um absurdo pelo plano de saúde,quando utilizamos ainda temos que pagar mais 30%. E se vc não tiver dinheiro ou seguro, esquece. Eles mandam vc voltar para casa, sem compaixão nenhuma.

      Espero que vc tenha entendido minha visão!

      Abs
      Thais Fioruci

      Excluir
  7. Lembrei de outra coisa, lidar com pessoas com deficiência física, desde cadeiras de rodas a Síndrome de Down. Também estamos anos-luz a frente :)

    www.lalanojapao.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lais,

      achei bem curioso seu comentário e confesso que fiquei pensando o dia todo nele. Até fui dar uma olhada no seu blog =) Dai conclui, realmente, as cidades tem uma ótima estrutura física para locomoção dos deficientes com calçadas sinalizadas, semáforos indicadores. Mas, na questão de atendimento e desenvolvimento dos deficientes, estamos sim muito avançados que eles. O que eu vejo aqui é assim, qq probleminha que uma criança ou um adulto tenha, como déficit de atenção por exemplo,eles logo classificam a pessoa como "deficiente" e não procuram investigar o real problema e as possíveis soluções. Só que, uma vez a criança classificada como deficiente,o futuro dela já estará todo comprometido, pois devera frequentar escolas especiais e muitas atividades serão "vetadas" de fazer, como cursar uma faculdade (assim ouvi dizer).

      Sabe que quando estive no Brasil fiquei extremamente impressionada com a pedagogia nas escolas municipais. Tenho uma sobrinha de 9 anos e na sala dela, tem uma criança com deficiência auditiva e outra com síndrome de down. Dai pensei, pq separá-las, classificá-las se são todas iguais? Vendo isso, abri minha mente sabe .... e conclui que o ensino aqui é muito engessado, nada voltado ao desenvolvimento criativo da criança, e demasiadamente militar.

      Muito obrigada pelo seu comentário! Ganhei meu dia =)

      Beijos
      Thais Fioruci

      Excluir