Image Map

sábado, 26 de agosto de 2017

COMO FAÇO PARA TRABALHAR NO JAPÃO?

Olá pessoal,

confesso que esse é um assunto que não gostaria de abordar mas, diante da atual situação econômica que o Brasil enfrenta, tanto eu como comunidades de brasileiros morando no Japão, recebemos diariamente perguntas de como vir trabalhar em terras japonesas.

Ao mesmo tempo que me sinto feliz, pois as pessoas estão dispostas a fazer algo para mudar sua situação atual, fico muito preocupada. Pelo que leio, acredito que a grande maioria pensa "quero morar no Japão, só basta comprar a passagem e fazer as malas", e gente não é bem assim, antes de tudo é necessário um visto e que fique bem claro PESSOAS ILEGAIS NÃO ENTRAM NO JAPÃO. O controle é muito grande e já cansei de ouvir casos de pessoas que moram aqui há décadas e por um simples vacilo (esquece de renovar o visto ou está aqui porque é casada/o com um descendente mas o marido/esposa já não mora aqui há anos) e é convidado/a a se retirar em um curto prazo.

Mas, quem pode vir trabalhar no Japão afinal?

- Apenas os descendentes de japoneses até a terceira geração, assim como suas esposas e filhos. Como os filhos de sanseis (terceira geração) serão portanto a quarta geração (yonsei) esses só poderão entrar antes de completarem os 18 anos;

- profissionais que atuam em uma empresa em solo brasileiro e que serão transferidos para uma unidade no Japão;

- Professor, artista, atividades religiosas, jornalista, investidor/gerente de negócios, serviço legal/contador, serviço medico, pesquisador, instrutor, engenheiro, especialista em humanas/serviços internacionais, trabalhos qualificados, entretenimento que desempenharão alguma atividade em solo japonês.

Todos esses itens litados são passiveis de análise pelo Consulado do Japão em sua região e ela portanto decidirá o período que permanecerá por aqui. O período é muito relativo. Um exemplo, meu marido que é descendente logo de primeira conseguiu um visto com duração de 3 anos, eu, obtive apenas visto de um ano, e assim, durante os três primeiros anos, todo ano, tive que renovar. Dizem que é por eu não ser descendente. Não sei. 

E em todos esses casos é necessário apresentar uma carta da empresa que está te contratando, pois ela garantirá sua estadia (conforme os termos do seu contrato de trabalho) e fornecerá o Certificado de Elegibilidade, documento exigido pelo Departamento de Imigração do Japão dizendo que está apto a migrar para o país. 

Muitos já me perguntaram: "Posso ir com visto de turismo, e quando chegar ai, tentar conseguir emprego e depois trocar de visto?". Geralmente respondo, você pode conseguir mas a empresa que for te contratar terá que dar bons motivos para a imigração conceder a mudança de visto. Vi apenas um caso assim e o rapaz trabalhava na área de TI (ou seja, segmento que sofre com falta de profissionais qualificados). Agora, em relação à serviços de fábrica, nunca vi, até porque existem desempregados por aqui.

Ah ... aproveitando para responder outra dúvida que recebo. Pessoas que exercem uma determinada função no Brasil, advogado/a um exemplo, e querem vir ao Japão (são descendentes ou casados com um), mas desejam continuar nesse mesmo trabalho. Serei bem sincera tá .... a não ser que venha transferido de uma empresa já com uma função especifica, mesmo que tenha faculdade, pós enfim .... a realidade aqui é fábrica. Para conseguir validar um diploma é uma luta (a começar pela barreira do idioma). É impossível? Não ... mas terá que batalhar muito. 

Após um tempo de Japão, percebo que muitos brasileiros começam a estudar para fugir das fábricas (sendo bem sincera), e conseguem serviços melhores como tradutores, helper (um campo bem amplo por aqui), atendentes de lojas ou tornam-se comerciantes. 

Agora, uma última dica: antes de falar EU QUERO TRABALHAR NO JAPÃO, pesquise muito, veja como é a metodologia de trabalho, como acontece a dinâmica, os horários, o calendário. Se pergunte.... será que estou disposto à isso? Será que suporto fisicamente, sabendo que 99,9% dos trabalhos são manuais? Será que terei problemas com o clima e as temperaturas? Analise a proposta (caso for descendente e virá por agência) e tome muito cuidado para não cair em um golpe. 

Pergunte a si mesmo, pois a realidade aqui é bem diferente do Brasil. E não pense, que só por ser um país de primeiro mundo que tudo é mil maravilhas e funciona corretamente.


Uma tipica fábrica no Japão


Bem, desculpe o desabafo mas é porque realmente fico preocupada. Essas são apenas considerações do que vi e vivi nos anos que moro no Japão. Pense bem antes de tomar essa difícil decisão e boa sorte.

Espero ter ajudado.

Abs
Thais Fioruci 




Nenhum comentário:

Postar um comentário